Carreira militar é alternativa para quem conclui ensino médio

A escolha pela carreira militar é uma das alternativas para os jovens que terminam o ensino médio. Para ingressar nas Forças Armadas, há diversas formas e áreas de atuação que variam conforme o nível de escolaridade e a idade.

Cada uma das Forças Armadas possui peculiaridades no processo de seleção. Porém, homens e mulheres têm a possibilidade de ingressar no serviço militar, após serem aprovados em concursos públicos em alguma das Escolas de Formação específicas de cada Força.

Contudo, a situação do jovem que presta o serviço militar obrigatório depois do alistamento, cumprindo o que determina a Lei do Serviço Militar, é diferente da situação do jovem que se inscreve para prestar concurso para uma das Escolas da Força.

4f1efe82-68e1-4dfd-92a3-fedb1b425695

O primeiro, por força da lei, permanece em alguma das Forças Armadas por um período de, no máximo, oito anos, diferentemente do jovem aprovado em concurso, que poderá seguir a carreira das Armas e permanecer na Força até passar para a Reserva Remunerada.

Carreira Militar

O início da carreira militar dos aspirantes poder ser como oficial ou sargento e ocorre por meio das escolas de formação, que oferecem cursos de ensino médio e preparam os estudantes para ingressar nas academias militares de cada Força. Ao entrar na Academia, os jovens ainda recebem apoio financeiro, que varia conforme a Força Armada.

Os jovens que ingressam tanto pelas escolas como por meio de concursos públicos terminam os cursos como oficiais e sargentos.

A Escola Preparatória de Cadetes do Exército assegura, após um ano de curso, acesso à Academia Militar das Agulhas Negras (Amam). Ao final de quatro anos na Amam, o aspirante se torna oficial. Para quem já possui o ensino médio, o acesso à Amam é por concurso público.

Há ainda a Escola Preparatória dos Cadetes do Ar na Aeronáutica, que oferece aos alunos curso de ensino médio e garante vaga no Curso de Formação de Oficiais Aviadores para jovens a partir de 14 anos. O curso prepara os alunos para o ingresso na Academia da Força Aérea (AFA), que também admite candidatos entre 18 e 21 anos por meio de concurso.

Na Marinha, a formação preparatória é oferecida pelas escolas navais, cujo curso de quatro anos exige o diploma do ensino médio. Os aspirantes passam por estágios de preparação física e acadêmica, que incluem cursos de sobrevivência no mar e na selva, assim como formação militar-naval. Para se inscrever no concurso, os candidatos têm de ter entre 18 e 23 anos.

Sargentos

O Exército ainda conta com a Escola de Formação de Sargentos, que seleciona e prepara esses militares, que passam por um período de instrução remunerada. Outro critério é ter ensino médio completo e ter entre 17 e 24 anos.

Já para se tornar sargento da Força Aérea Brasileira, o candidato precisa ter menos de 24 anos e o ensino médio completo. O curso técnico é realizado na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), em mais de 20 áreas de atuação.

Os militares têm formação técnica e podem atuar em mais de vinte áreas, como controle de tráfego aéreo, eletricidade e instrumentos, eletrônica, meteorologia, administração, cartografia, informações aeronáuticas, entre outras. Ao receber o diploma, o aluno passa à graduação de 3º Sargento Especialista, podendo seguir carreira na FAB e, por meio de seleções internas, ter acesso ao oficialato.

No caso da Marinha, para se tornar sargento músico, os candidatos devem ter entre 18 e 24 anos e ensino médio completo e precisam ser aprovados no concurso do Comando do Pessoal de Fuzileiros Navais (CpesFN).

Nível Superior

O Exército dispõe de escolas gratuitas para formação superior, como o Instituto Militar de Engenharia (IME). A Aeronáutica por sua vez também promove vestibulares para seleção no Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), que oferece cursos de graduação e pós-graduação em várias áreas de engenharia, como cursos de engenharia aeroespacial, aeronáutica, civil aeronáutica, da computação, eletrônica, mecânica, cartográfica, de comunicações, de fortificação e construção, elétrica, metalúrgica e química.

Quadro Complementar

As Forças Armadas ainda dispõem de escolas para seleção e capacitação de profissionais temporários  nas áreas de  administração, ciências contábeis, direito, magistério, informática, economia, psicologia, estatística, pedagogia, veterinária, enfermagem e comunicação social.

Para participar, os candidatos devem ter 20 a 36 anos e participar de concursos públicos. Os aprovados ficam contratados por até oito anos como oficiais ou sargentos.

Atletas

Os atletas também são contemplados com a formação militar. O Exército abre editais públicos para selecionar esportistas que fazem parte das equipes nacionais de sua modalidade. Ainda há oportunidades para os jovens de 18 anos que não são titulares nos times nacionais. A seleção, neste caso, ocorre por meio do alistamento militar para os que vão servir na Comissão Desportiva do Exército (CDE).

Já na Marinha, o atleta só pode ingressar como militar temporário. O período máximo de permanência é de oito anos. Os candidatos com índices olímpicos são selecionados pelo Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan).

Fonte: Portal Brasil

Universia Brasil lança plataforma de bolsas de estudo para cursos de graduação e pós

Que tal uma bolsa de estudos de até 83% durante todo curso nas principais instituições de ensino do Brasil? Em parceria com a Quero Educação, a Universia Brasil lançou nesta quinta-feira (16) uma plataforma que oferece justamente isso: a Universia Quero Bolsa, que oferece o benefício em cursos de graduação e pós-graduação, nas modalidades presencial e à distância.

dsc_1280

Além das vantagens financeiras, também é possível comparar preços e personalizar a sua busca pela cidade em que se pretende estudar ou quanto se pode pagar. Para garantir o benefício os usuários devem fazer um cadastro, escolher o curso e pagar a pré-matrícula na própria plataforma. Com o comprovante em mãos, basta contatar a instituição de ensino. O documento garante a bolsa na rematrícula em todos os períodos até a conclusão do curso. A Universia Quero Bolsa não cobra taxas semestrais ou a participação do aluno em reuniões.

Para 2017, são mais de 100 mil cursos disponíveis em mais de 900 instituições de ensino superior de todo Brasil. Desde que o serviço foi lançado pela Quero Educação, mais de 100 mil alunos já foram beneficiados com os descontos.

Para o diretor geral da Universia Brasil, Luis Cabañas, o serviço atende uma demanda crescente do mercado educacional brasileiro. “Ao oferecer o mesmo curso a um valor diferenciado do momento da matrícula até a conclusão, damos a oportunidade de milhares de brasileiros iniciarem e continuarem seus estudos. Além disso, contribuímos para o controle da evasão provocada pela dificuldade de pagamento das mensalidades”.

Bernardo de Pádua, CEO da Quero Educação, fala sobre a parceria: “Damos boas vindas à Universia, que compartilha a nossa missão de ajudar alunos a encontrar sua escola ideal, por um preço que podem pagar. Essa parceria fará com que ainda mais alunos e faculdades se beneficiem da plataforma, o que nos alegra muito.”

Fonte: Universia Brasil

Escolas já podem se inscrever na olimpíada de astronomia deste ano

Estão abertas as inscrições para escolas que desejem participar da 20ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). As inscrições se estenderão até 19 de março. Na avaliação do coordenador nacional da OBA, o físico João Batista Garcia Canalle, 2017 é um ano especial. “Não é todo dia que uma olimpíada científica faz 20 anos de existência no Brasil, sem interrupções”.

obacapa

Canalle admitiu, porém, que, com a situação de dificuldades econômicas por que passa o país, com redução de verbas destinadas a instituições científicas, as perspectivas não são muito animadoras no objetivo de ultrapassar 1 milhão de alunos inscritos este ano, pela falta de recursos para divulgação. “Por outro lado, a gente está mantendo a animação, fazendo divulgação pela mídia, para tentar envolver mais escolas e manter, pelo menos, 800 mil alunos por ano, que é a nossa média há quase dez anos”, disse.

O coordenador sublinhou a importância da astronomia e astronáutica para os estudantes dos ensinos fundamental e médio. A primeira questão, segundo Canalle, é a consciência global. “As pessoas acham que planeta é uma coisa que está no céu. No entanto, esquecem que moram em um planeta, a Terra, que está também no céu. Mas as pessoas não têm essa percepção. Ao desconhecerem isso, não percebem que esse é o nosso lar. Não tem como nós morarmos em outro planeta do sistema solar, exceto talvez Marte, com muito recurso e em um futuro muito distante, e com muita tecnologia”.

O coordenador nacional disse que a olimpíada visa despertar as crianças e jovens para a importância de bem conservar o planeta Terra. “Aqui é o nosso lar, dependemos dessa estrela [o sol], a lua tem a sua importância na estabilidade da orientação do eixo de rotação da Terra, favorece o movimento das massas oceânicas com as marés. Ou seja, nós somos seres planetários e, no entanto, por ignorância, pensamos que ainda vivemos em um mundo de terra plana”.

Olimpíada

A olimpíada ocorrerá, em uma única fase, no dia 19 de maio. Escolas públicas e particulares de todo o país podem se cadastrar pelo site www.oba.org.br. Nesses 20 anos de existência, a olimpíada superou a marca de 8 milhões de participantes.

A cada ano, são distribuídas cerca de 40 mil medalhas. Na edição de 2016, a olimpíada teve a participação de 744.107 estudantes de 7.915 escolas de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal.

A olimpíada gerou a Mostra Brasileira de Foguetes, que tem em torno de 90 mil participantes por ano e também está com inscrições abertas. O mostra avalia a capacidade dos estudantes de construir e lançar, o mais distante possível, foguetes feitos de garrafa pet, tubo de papel ou canudo de refrigerante.

Os melhores classificados na olimpíiada representam o país nas olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica de 2018. Os participantes concorrem ainda a vagas nas Jornadas Espaciais, que ocorrem em São José dos Campos (SP).

Fonte: Agência Brasil

MEC publica mudanças nas regras do Fies

O Ministério da Educação (MEC) publicou na edição desta quinta-feira, 16, do Diário Oficial da União (DOU) portaria que altera normas que regulam o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Dentre as mudanças, agora as empresas do setor poderão deduzir no cálculo dos encargos educacionais “deságios mínimos a partir do valor das mensalidades, semestralidades ou anuidades com desconto, conforme definição de portaria normativa do MEC a cada processo seletivo”.

dkkdmkd

Pela regulamentação anterior, a dedução nas mensalidades, semestralidades ou anuidades só alcançava descontos regulares e de caráter coletivo oferecidos pela instituição, incluindo os concedidos em virtude de pagamento pontual.

A portaria também define novos parâmetros para o valor dos encargos educacionais de acordo com o comprometimento da renda familiar do aluno. A tabela estabelece, por exemplo, que, no casos de alunos com renda igual ou inferior a meio salário mínimo, o desembolso marginal é de 15% e o desembolso efetivo também de 15%.

Para aquele estudante com renda de 1 a 1,5 salário, o valor marginal é de 38% e o efetivo de 26,50%. Para quem tem renda superior de 2,5 a 3 salários mínimos, o comprometimento marginal ficou em 72,50% e o efetivo em 43,75%.

Além disso, o texto estabelece que o valor apurado para financiamento a cada semestre poderá ser reduzido por solicitação do estudante e que a parcela mensal da semestralidade ou anuidade escolar a ser financiada não poderá ser inferior a R$ 50,00.

Também define que, no caso de estudante beneficiário de bolsa parcial do Prouni, o fiador deverá ter renda mensal bruta conjunta pelo menos igual à parcela mensal da semestralidade financiada pelo Fies e que, nos demais casos, o fiador deverá ter renda mensal bruta conjunta pelo menos igual ao dobro da parcela mensal da semestralidade financiada pelo Fies.

Fonte: Uol

Trabalhadores poderão sacar FGTS em caixas automáticos e lotéricas

O governo federal divulgou nesta terça-feira (14) o calendário para o saque dos recursos em contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Contribuição (FGTS). Agora, o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015 pode sacar o saldo da conta vinculada, estando ou não fora do regime do FGTS.

05-06-2014 - São Paulo - O MPT-RJ (Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro) entrou com ação civil pública pedindo que todos os selecionados para o programa de trabalho voluntário da Fifa para a Copa do Mundo sejam contratados com carteira de trabalho assinada. Foto Rafael Neddermeyer/ Fotos Publicas

A partir de 10 de março, as contas inativas com saldo até R$ 1,5 mil poderão ser sacadas no autoatendimento da Caixa apenas com senha do Cartão do Cidadão (sem a necessidade do plástico). Já para valores entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil, será necessário que o trabalhador possua o Cartão do Cidadão e senha para pagamentos no autoatendimento.

Outra opção para saque são os canais parceiros (Caixa Aqui e unidades Lotéricas), onde são permitidos saques de até R$ 3 mil, apresentando o documento de identificação do trabalhador, Cartão do Cidadão e a respectiva senha. Valores acima de R$ 3 mil serão sacados exclusivamente nas agências da Caixa.

Para valores superiores a R$ 10 mil, será necessária a apresentação da carteira de trabalho ou documento que comprove a extinção do vínculo do trabalho. Para quem já é correntista da Caixa, os valores serão transferidos automaticamente.

As contas inativas são aquelas criadas que ficam sem movimentação após o trabalhador sair do emprego. A expectativa é de que sejam injetados até R$ 30 bilhões na economia, com a decisão do governo de permitir que cerca de 10,2 milhões de trabalhadores retirem todo o saldo das contas inativas até 2015. Os recursos devem ser liberados em etapas, em razão do grande volume que deve ser sacado.

Regras

Todo trabalhador brasileiro com contrato de trabalho formal, regido pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), e, também, trabalhadores rurais, temporários, avulsos, safreiros (operários rurais que trabalham apenas no período de colheita) e atletas profissionais têm direito ao FGTS.

Os recursos do Fundo podem ser sacados em situações específicas, como quando o trabalhador se aposenta ou atinge os 70 anos e no financiamento da casa própria.

O trabalhador ainda pode sacar os recursos do FGTS em caso de doenças graves, como quando há diagnóstico de câncer em estágio terminal ou quando o trabalhador ou seu dependente for portador do vírus HIV.

Fonte: Portal Brasil

Correios abre inscrições para Concurso Internacional de Redação de Cartas

Estão abertas as inscrições para o 45° Concurso Internacional de Redação de Cartas, realizado no Brasil pelos Correios. O concurso é promovido em todo o mundo, pela União Postal Universal (UPU) — entidade que congrega os operadores postais de 191 países — com o objetivo de melhorar a alfabetização através da arte epistolar e incentivar crianças e adolescentes a expressarem a criatividade e aprimorarem seus conhecimentos linguísticos.

O tema para este ano é “Escreva uma carta a você mesmo aos 45 anos”. Poderão participar estudantes de até 15 anos de idade da rede pública e privada de ensino. As inscrições vão até o dia 17 de março.

logotipo-correios-marca

As redações devem ser redigidas de próprio punho, com caneta esferográfica preta ou azul e escritas em língua portuguesa, contendo no máximo 900 palavras em formato de carta. Para participar, o estudante deverá passar por uma seleção em sua escola, na qual será escolhida a carta que irá representá-la. Cada escola pode inscrever no máximo duas redações.

Serão realizadas duas fases: estadual e nacional. Na estadual, o autor da melhor redação ganhará R$ 1.000. Já na fase nacional, o vencedor ganhará R$ 5.000 e um troféu, e sua redação representará o Brasil na etapa internacional, a ser realizada pela União Postal Universal. As escolas também recebem prêmios: R$ 2.000 na fase estadual e R$ 10.000 na nacional.

Em 2015, o concurso teve a participação de cerca de 3.700 estudantes de 2.131 escolas públicas e particulares de todo o Brasil. Leonardo Silva Brito, de Rondônia, foi o vencedor nacional e ficou com a medalha de bronze na fase internacional do concurso, em que o Brasil é o 2° melhor país em número de vitórias, com três medalhas de ouro, atrás apenas da China, com cinco.

O regulamento completo do concurso está disponível no site dos Correios, no link: http://www.correios.com.br/sobre-correios/sustentabilidade/vertente-social/concurso-internacional-de-redacao-de-cartas

Fonte: Correios