Currículo malfeito descarta 15% dos candidatos em seleção

adLevantamento da agência de empregos Luandre mostrou que 15% dos profissionais perdem oportunidades de emprego por ter um currículo ruim, que não conta com todas as informações necessárias para a avaliação do candidato. A agência recebe cerca de 70 mil currículos por mês.

Entre os erros mais comuns estão: diversificar demais as áreas de pretensão, erros gramaticais, informações muito detalhadas e longas e, principalmente, não preencher o cadastro com todas as informações necessárias e relevantes, como dados de contato, experiências anteriores, nível de escolaridade e cursos, entre outros.

“O currículo deve estar sempre atualizado e o candidato precisa relatar de forma clara suas experiências, além de não omitir informações que são pré-requisitos para a avaliação em algumas posições como idioma e conhecimentos técnicos”, afirma Juliana Constantino, gerente da Luandre.

Veja abaixo dicas para quem busca um emprego:

1) O que fazer?
Segundo Juliana, o primeiro passo para uma recolocação profissional é avaliar qual área e a função o profissional deseja se recolocar e atualizar o currículo com cursos realizados e cargos alcançados na empresa anterior. É muito importante cadastrar os dados em sites de emprego, consultorias em recursos humanos, redes sociais, portais do trabalhador, trabalhe conosco das empresas, entre outros. O contato com os amigos também é muito importante, pois a indicação é um excelente caminho.

2) Quais as características que as empresas estão buscando?
Algumas das características que as empresas buscam no profissional são: comprometimento, dedicação, flexibilidade, energia, visão estratégica, foco em resultado, entre outras. As empresas também  buscam candidatos que tenham estabilidade e objetivo profissional, foco naquilo que querem para sua carreira e que buscam mais especializações.

3) Como se sair bem neste momento de grande procura de candidatos por vagas?
Juliana afirma que o profissional deve pesquisar sobre a empresa antes da entrevista, se preparar sobre os possíveis questionamentos em relação as suas atividades profissionais, ser claro e se mostrar disponível. “Tenha postura confiante e seus pontos fortes e fracos na ponta da língua. Seja pontual cordial e aja com naturalidade”, diz Juliana.

4) No caso de não saber outro idioma ou tecnologia, como mencionar a falta e continuar competitivo?
A melhor opção é sempre falar a verdade, não focar no que o profissional não tem e sim nos planos futuros como, por exemplo, mencionar interesse em especializações.

5) Vale a pena se candidatar para vagas que não tem relação com a formação e experiência profissional?
“Vale a pena desde que aquela outra experiência faça realmente sentido a você. Se pergunte o que aquela vaga irá te agregar ou te desenvolver, se será um desafio ou um tiro no escuro”, diz Juliana.

Contudo, pelo lado das organizações, com o crescimento de pessoas à disposição do mercado de trabalho, as empresas na maioria das vezes buscam candidatos que já tenham experiência em determinada função devido vários fatores: adaptação rápida às atividades, otimizar o tempo dos processos e até mesmo produtividade maior.

6) O que o candidato deve avaliar na hora de aceitar a vaga?
O profissional deve avaliar se a oportunidade em questão faz sentido na sua vida, de acordo com suas experiências, formação e expectativas futuras. Avaliar o que ele deseja para seu futuro e que se naquela oportunidade poderá se realizar profissionalmente. A remuneração   deve ser avaliada, porém não será apenas isso que fará o profissional feliz e realizado dentro de uma organização.

7) Vale a pena ganhar menos do que o último salário? Quanto menos?
Tudo deve ser avaliado dentro do contexto que envolvem os planos do profissional. Se essa oportunidade será um recomeço ou uma recolocação, se agora ele vai atuar na sua área de formação ou simplesmente pela atividade nova que será exercida dentro dessa nova organização. Em relação ao salário, o candidato deve avaliar se conseguirá comportar seus gastos pessoais, para conseguir enxergar no seu emprego uma fonte de renda, mas também um lugar para crescer profissionalmente.

8) O que não dizer ou fazer numa entrevista de trabalho?
Não se deve reclamar das experiências profissionais anteriores, por exemplo, a empresa, gestor ou até mesmo atividades exercidas. Não omitir ou mentir informações.

Juliana ressalta que é muito importante se concentrar na entrevista para não desviar o assunto para questões que não são pertinentes. O candidato deve esclarecer todas as dúvidas e demonstar interesse e motivação para a proposta oferecida.

Fonte: G1

Anúncios

About Celso Jacob

Economista, professor e político, Celso Jacob. Sejam todos bem-vindos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: