Programa de reciclagem de computadores contribui para formação de 8 mil jovens

Com o apoio do governo federal, os Centros de Recondicionamento de Computadores (CRCs) contribuíram para a formação de 8 mil jovens em situação de vulnerabilidade social, além de recuperarem 16 mil equipamentos de informática.

O programa, que integra a política nacional de inclusão digital, funciona por meio de parcerias do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) com instituições responsáveis por executar as ações de formação e recondicionamento de equipamentos.

concursos

Atualmente, o ministério conta com nove CRCs parceiros – seis foram selecionados no edital de 2015 e três que tiveram seus convênios aditivados. Essas unidades funcionam nas cidades de Curitiba (PR), João Pessoa (PB), Recife (PE), Belém (PA), Maracanaú (CE), São Paulo (SP), Valparaíso (GO), Porto Alegre (RS) e Petrolina (PE).

Os centros atuam em três frentes: a recuperação de equipamentos de informática; a formação de jovens em situação de vulnerabilidade social; e o descarte adequado de resíduos eletrônicos.

O coordenador de Articulação do Departamento de Inclusão Digital do MCTIC, Alexandre Mesquita, avalia que os CRCs passaram por uma evolução ao longo desses 10 anos.

Inicialmente, os centros foram criados para recondicionar máquinas e formar jovens em regiões com alto grau de vulnerabilidade social. Ultimamente, explica ele, o programa incluiu a reciclagem de resíduos eletroeletrônicos. “Os CRCs passaram a prestar um serviço para a sociedade e ajudar na solução de um problema contemporâneo, que é a destinação correta dos materiais e componentes eletrônicos que não têm mais utilidade”, aponta.

Atividades

Os centros de recondicionamento capacitam jovens por meio de oficinas, cursos e atividades práticas. Os participantes aprendem a trabalhar com tecnologias da informação e comunicação (TICs), por meio dos processos de recepção, triagem, recondicionamento, estoque, descarte e entrega de equipamentos.

Os CRCs também oferecem formação cidadã e ambiental, ensinando o descarte correto do lixo eletrônico e a preservação do meio ambiente. Periodicamente, os centros abrem processo seletivo em que são avaliados fatores como renda e a inclusão em medidas socioeducativas.

Para realizar o trabalho de formação, os CRCs utilizam equipamentos doados por órgãos públicos, empresas e pessoas físicas. Quem quiser fazer a doação deve fazer contato diretamente com o centro de recondicionamento mais próximo. Já os órgãos da administração pública federal seguem as normas dos Decretos nº 99.658/90 e nº 6.087/07.

As instituições enviam ao Ministério do Planejamento a relação de itens que querem doar e a classificação (ocioso, recuperável, antieconômico ou irrecuperável). A partir dessa lista, o Departamento de Inclusão Digital do MCTIC indica se há interesse de algum centro nos equipamentos.

Fonte: Portal Brasil

Anúncios

About Celso Jacob

Economista, professor e político, Celso Jacob. Sejam todos bem-vindos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: