Concurso INSS: Planejamento deve liberar autorização

Nesta semana, durante entrevista ao portal G1, o assessor especial do Ministério do Planejamento, Arnaldo Lima Junior, trouxe uma notícia muito boa para todos os concurseiros: a partir de 2019 devem ser retomadas as autorizações para concursos federais. E em meio a isso, um dos órgãos que deve entrar na lista das liberações é o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), ainda mais que sofre com defasagem de pessoal e é um dos maiores desafios do país por conta da grande demanda de atendimento.

Apesar de não ter encaminhado neste ano um pedido para a abertura de seleção, o instituto precisa repôr o seu quadro de servidores o mais rápido possível. Um dos motivos é que dados recentes apontaram que aproximadamente 42,8% dos seus funcionários se aposentarão até 2027.

Vale lembrar que a categoria pleiteia constantemente a realização do concurso do INSS. Recentemente a Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) chegou a inserir na pauta o tema “concurso público já!”. Em junho, a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social (CNTSS) encaminhou ao MPDG um documento no qual informa que um dos seus assuntos reivindicados é a abertura de nova seleção.

Parte do documento enviado pela CNTSS apresenta o seguinte: “Recomposição da força de trabalho nos quadro de servidores do INSS; É grave a situação do contingente de pessoal, no INSS, para o atendimento da demanda diária por serviços em suas Unidades, tanto nas unidades de atendimento ao público, quanto nas unidades administrativas. Com o crescente número dos pedidos de aposentadoria de servidores, no órgão, os impactos para a categoria é o aumento do adoecimento no trabalho, em função da sobrecarga de atividades. Urge que sejam chamados, em sua totalidade, os classificados no último concurso do INSS (800 Técnicos do Seguro Social e 150 Analistas do Seguro Social), bem como a autorização de novo concurso público para o INSS, recompondo a estrutura do quadro de servidores, tanto no atendimento ao público, quanto para a área administrativa, responsáveis por manter em funcionamento a prestação dos serviços públicos aos usuários da Previdência Social. O cenário é de aproximadamente de 34% do quadro de servidores do INSS, em abono de permanência. Efetivada a aposentadoria, o INSS entrará em colapso, sem condições de atender à população e aos órgãos de controle”.

Fonte: JC Concursos

Anúncios

About Celso Jacob

Economista, professor e político, Celso Jacob. Sejam todos bem-vindos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: