Concurso TRT/RJ: em fase de escolha da banca

O novo concurso público que será realizado pelo Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, no Rio de Janeiro (TRT/RJ), já está em fase de escolha da banca organizadora. A expectativa é de que isto seja definido no decorrer das próximas semanas para que a publicação do edital de abertura de inscrições ocorra até o início de 2018. Além da contratação da empresa, a liberação do certame também depende ainda da confirmação da oferta de vagas. De qualquer forma, já está certo que a seleção será para os cargos de técnico e analista judiciários em diversas áreas de atuação.

O concurso está autorizado desde 6 de abril, quando também foram nomeados os membros da comissão.

Para concorrer ao cargo de técnico é necessário possuir ensino médio, enquanto para analistas, a exigência é de nível superior. As remunerações iniciais são, respectivamente, de R$ 7.260,41 a R$ 8.308,17 para técnicos, variando de acordo com a área de atuação; e de R$ 11.035,90 a R$ 13.064,99 para analistas, também de acordo com a área.

A comissão do concurso público, já constituída, tem como presidente o desembargador do trabalho Cesar Marques Carvalho.

No caso de técnico, já está confirmado que haverá oportunidades na área administrativa, que pede apenas ensino médio, com inicial de R$ 7.260,41, além de técnico nas áreas de segurança e enfermagem. No primeiro caso é necessário possuir carteira de habilitação “D”, com inicial de R$ 8.308,17 e para enfermagem, formação técnica, com R$ 7.260,41.

Para os analistas, o TRT oferecerá oportunidades para a área administrativa, que pede apenas nível superior em qualquer área, com inicial de R$ 11.345,90, além da área judiciária (com formação em direito e inicial de R$11.345,90) e oficial de justiça, também com formação em direito e inicial de R$13.064,99.

Seleção Anterior
O último concurso do tribunal ocorreu em 2014, quando foram oferecidas 77 oportunidades, sendo 74 para o cargo de analista judiciário –área apoio especializado – especialidade tecnologia da informação, uma para analista judiciário – área apoio especializado especialidade medicina –psiquiatria e duas para técnico judiciário – área apoio especializado –especialidade tecnologia da informação.

A banca organizadora, na ocasião, foi a Fundação Carlos Chagas.

Fonte: JC Concursos

Anúncios

600 micro cursos on-line e gratuitos oferecidos pela Unieducar

Quer aproveitar o tempo livre para aprender sem pagar nada e ainda melhorar o seu currículo? A Unieducar, instituição que atua nas áreas de treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial, disponibiliza mais de 600 micro cursos gratuitos para começar quando quiser.

São ofertados cursos em diversas áreas do conhecimento, com carga horária de até 4h. Os conteúdos apresentados são uma parte da versão completa (paga) dos cursos da plataforma. O aluno pode se inscrever em um curso por vez, em um intervalo de pelo menos 30 dias.

Embora sejam cursos rápidos, o aluno que finalizar recebe o certificado eletrônico. Confira abaixo algumas opções:

Clique aqui para ver todos os cursos. Bons estudos!

Enem 2017 terá detectores de metal em todos os banheiros

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 vai utilizar 67 mil detectores de metal, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) . Segundo o instituto, o número garante que será feita a vistoria dos participantes na entrada e na saída de todos os banheiros dos locais de prova.

O Inep afirma que o número é proporcionalmente maior ao da edição passada, quando os detectores passaram a ser usados em todos os banheiros e não mais de forma aleatória, como ocorreu em 2014 e 2015.
“Com a ampliação dos detectores de metal e a estreia de duas novas tecnologias – os detectores de ponto eletrônico e a prova personalizada – o Enem 2017 terá a estrutura de segurança aprimorada em relação a 2016, fortalecendo a isonomia entre os participantes”, afirmou o Inep em nota.

Na conta do governo, o Enem 2017 terá um detector de metal para cada 100 participantes. Em 2016, a relação era de 110 participantes por detector. O Enem 2017 teve 6.731.256 inscrições confirmadas, 22% a menos que em 2016, quando foram 8.627.371 inscrições confirmadas e 78 mil detectores adotados.

Locação dos equipamentos

O Inep chegou a entrar na Justiça afirmando que era o dono dos detectores de metal usados pelo antigo consórcio contratato para aplicar a prova. Entretanto, em nota nesta terça-feira (10) o instituto anunciou ter fechado um acordo para alugar 35 mil detectores junto ao Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).

“O consórcio aplicador de 2017, formado pela Fundação Cesgranrio, Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp) e Fundação Getúlio Vargas (FGV) fornecerá 32 mil detectores. O grupo tinha 29 mil aparelhos disponíveis e adquiriu mais três mil recentemente”, informou o Inep.

Segundo o Inep, cada detector de metal será alugado por R$ 20, o que representará um custo total de R$ 700 mil. O gasto com os alugueis não aumentará o custo final do Exame porque o valor já estava previsto no orçamento da segurança. O consórcio aplicador, com apoio do Exército Brasileiro, já iniciou a verificação dos aparelhos alugados. O trabalho deve ser encerrado até sexta-feira.

Além da ampliação no número de detectores de metal, o Inep diversificou a estratégia de segurança desta edição com a adoção, em caráter experimental, de detectores de ponto eletrônico. Os novos aparelhos serão distribuídos em locais estratégicos, selecionados pela Polícia Federal a partir de um trabalho de inteligência que vem sendo preparado desde a aplicação do Enem 2016, a partir de informações do Inep e do Ministério da Educação (MEC).
O novo aparelho é um receptor avançado de detecção de campo próximo, capaz de identificar a emissão de sinais em radiofrequência de WiFi, Bluetooth, celulares e transmissões ilegais. O Andre, da marca Rei, fornecido pelo grupo Berkana, detecta transmissões de radiofrequência independentemente de serem desconhecidas, ilegais, disruptivas ou de interferência. A solução foi uma recomendação da Polícia Federal visando a localização, de forma mais precisa e sem necessidade de busca pessoal, de aparelhos de transmissão muito pequenos e que, eventualmente, possam ter burlado a inspeção por meio dos detectores de metal. O uso do dispositivo é inspirado na estratégia de segurança do “vestibular” chinês, o Gaokao.

A prova personalizada, com os Cadernos de Questões identificados com nome e número de inscrição do participante, também inibe, significativamente, as tentativas de fraudes. Com o novo recurso, o participante não tem a opção de “mentir” sobre a cor da sua prova, uma vez que seu Cartão Resposta está vinculado ao Caderno de Questão personalizado. Outras medidas consolidadas em outras edições serão mantidas, caso da coleta do dado biométrico, lançada em 2016.

O objetivo do Inep ao ampliar os recursos de segurança é permitir que eles sejam cada vez mais especializados no combate às tentativas de fraudes, garantindo a isonomia do exame. A parceira com a Polícia Federal, e o trabalho de inteligência feito com cruzamento de dados e investigação, resultou na anulação dos resultados de 13 participantes das edições de 2015 e 2016. Os participantes que tentaram fraudar o Exame se beneficiando do uso de ponto eletrônico, por exemplo, além de terem os resultados cancelados e, consequentemente, perderem o direito às vagas no Ensino Superior, são indiciados por crime de fraude em certames de interesse público.

Fonte: G1

Concurso PM/MG: publicado edital com 120 ofertas

A Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) publicou no Diário Oficial o edital de abertura das inscrições de concurso. A seleção visa o preenchimento de 120 vagas para ingresso no curso de formação de oficiais, sendo 108 destinadas aos homens e 12 às mulheres.

Interessados em concorrer a uma das vagas devem possuir diploma de curso de nível superior em direito obtido em estabelecimento reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), idade entre 18 e 30 anos na data da inclusão (2 de julho de 2018) e altura mínima de 1,60m. A remuneração básica inicial para o cadete do 1º ano do curso é de R$ 5.769,43.

De acordo com o edital do concurso da PMMG, entre as condições gerais de exercício do cargo estão: trabalhar em contato cotidiano com o público, de forma individual ou em equipe, sob supervisão permanente, em ambiente de trabalho que pode ser fechado ou a céu aberto, a pé, montado ou em veículos, em horários diversos (diurno, noturno ou em rodízio de turnos). Atuar em condições de pressão e de risco de contágio e de morte em sua rotina de trabalho.

Como participar do concurso PMMG

A inscrição deverá ser realizada exclusivamente pela internet, através da página eletrônica http://www.policiamilitar.mg.gov.br/crs. A ficha de cadastro estará disponível no site no período de 6 de dezembro a 4 de janeiro de 2018.

Será cobrada uma taxa de participação do concurso da PMMG, no valor de R$ 173. O pagamento do boleto bancário poderá ser efetuado até a data limite de 5 de janeiro de 2018, observado o horário de funcionamento do banco.

Fonte: JC Concursos

Simulado gratuito do Enem pode ser feito até 18 de outubro

O simulado Enem Online, feito pelo curso catarinense Pró Universidade, pode ser feito gratuitamente até 18 de outubro. A prova é corrigida no mesmo modelo da correção do Enem. As inscrições e o exame podem ser feitos no site do simulado.
A prova é direcionada a estudantes e demais interessados e apresenta questões selecionadas por professores especializados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
O simulado pode ser feito em qualquer computador com acesso à internet e a duração deve ser de até 4 horas e meia. São 90 questões, divididas entre as quatro áreas de conhecimento do Enem: linguagens, códigos e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias e ciências matemáticas e suas tecnologias.
Em todas as edições, o Simulado Enem Online teve a participação de 73 mil alunos. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (48) 3028-9890.

Fonte: G1 Educação

A Universidade de São Tomás, em Manila, nas Filipinas, prestou uma homenagem incrível para os professores da instituição ao formar com 17.011 pessoas a frase em inglês “Meu professor é meu herói”.

A foto aérea da frase é surpreendente! Além da homenagem referente ao Mês do Professor no país, a universidade tentou bater o recorde mundial de maior frase já escrita com pessoas.

O número de 17.011 participantes foi divulgado pelo site TomasinoWeb no Facebook e compartilhado pela instituição na rede social. O recorde, no entanto, ainda precisa ser certificado pelo Guinness.

Fonte: Catraca Livre